27/03/2008

Degustação...

Segue um trecho do livro "VOCÊ NUNCA OUVIU NADA IGUAL":

Capítulo 2 – E o Livro

Você deve estar se perguntando... Por que ler um livro sobre rádio? Como o rádio pode mudar a minha vida? Ou: “que diabos” faz um cachorro na capa? Você terá as respostas nas próximas páginas.
Posso lhe assegurar que coisas incríveis vêm por aí. Desde o meu primeiro contato com rádio, tanto na locução quanto na produção, achei tudo fantástico. Assim como eu me encantei, percebi o fascínio dos ouvintes por este sistema de comunicação, que faz com que as pessoas viagem sem precisar sair de casa.
Em um rápido comparativo com outros meios de comunicação, o rádio é o único que, ao mesmo tempo, atinge todo o território nacional, todas as classes sociais, analfabetos ou não, e desenvolve a imaginação. Este é o principal ponto que me motivou a escreve esse livro: a imaginação. Com ela vamos para onde e a hora que quisermos, e o mais importante, de graça! Um dos melhores instrumentos para botar em prática a imaginação é o rádio.

Você sabia que o rádio é um dos utensílios que os brasileiros mais têm em casa, junto com o fogão, televisão e a geladeira? O total de residências com rádio, segundo o IBGE, chega próximo aos 50 milhões. Tente imaginar o que esses quase 50 milhões de aparelhos de rádio são capazes de fazer e como eles podem mudar o ser humano.
O maior poder de penetração desse meio de comunicação é na zona rural. Ainda de acordo com o IBGE, o homem do campo prefere o rádio à televisão. O rádio se destaca também entre a população de baixa renda, em 55% dos lares brasileiros onde está presente, a renda familiar não ultrapassa cinco salários mínimos. É com essa grande massa de ouvintes que o rádio pode conversar, ensinar, incentivar, mudar e fazer acontecer.

Será muito interessante dividir com você mais informações sobre esse veículo que está presente em praticamente todas as casas do Brasil.

Vamos verificar nas próximas páginas deste livro, pontos pouco abordados na literatura nacional relacionados ao meio rádio. Em todas as fontes que consultei, muito se comenta sobre história, de fatos ocorridos no dia-a-dia e de técnicas para locução. Senti a falta de informação sobre a parte lúdica do rádio. Então aproveitei e juntei a história e as técnicas para descobrir o rádio de um novo ângulo, ainda pouco explorado. Acredito que “Você Nunca Ouviu Nada Igual”.

19/03/2008

Release para Imprensa

O rádio que você nunca ouviu!

Uma maneira fácil de exercitar nossa imaginação a hora que quisermos, e de graça, é através do rádio. O único meio de comunicação que atinge todo o território nacional, todas as classes sociais, todas as faixas etárias, todos os níveis de escolaridade; e ao mesmo tempo, mexe com os nossos sonhos.

A análise deste lado lúdico do rádio está no livro do jovem radialista catarinense Watson Zucco Weber. Ele está lançando neste mês em Blumenau o livro chamado: Você Nunca Ouviu Nada Igual - Como o Rádio Pode Mudar a Sua Vida (Ed. Nova Letra, 2008). Uma obra diferente, destinada aos profissionais da área, estudantes de comunicação, ouvintes e admiradores do rádio. Segundo o autor, quem trabalha no meio, ou ouve rádio diariamente, não percebe como essa mídia, sem querer, pode mudar a vida das pessoas.

A cada capítulo, o livro fica mais interessante, misturando fatos da história do rádio local e mundial, com dicas profissionais, uma pitada de motivação e até um pouco de ficção para “ilustrar” as explicações.

Entre os temas abortados na obra, destacam-se: A História do Rádio, A Segmentação, O Rádio do Futuro, A Vida de Locutor, Falando em Público, Gerenciando e Motivando a Equipe, Promoções, Conquistando a Audiência, O Estilo Popular, As Vantagens do Rádio, Rádio-Terapia, A Imaginação, Sucesso, Sonho, e muito mais.

Watson, que é graduado e pós-graduado pela FURB, professor, produtor de áudio e locutor da Guararema FM, diz que existem muitas bibliografias sobre a história do rádio e de técnicas utilizadas por locutores, mas pouco se conhece sobre o mundo de fantasias por trás do rádio. Neste livro, ele juntou a história e as técnicas para descobrir o rádio a partir de um novo ângulo.

Com prefácio do professor e doutor em Comunicação, Clóvis Reis, Você Nunca Ouviu Nada Igual está sendo lançando pela editora Nova Letra, com vendas pelo endereço eletrônico: http://vocenuncaouviunadaigual.blogspot.com. As primeiras aquisições levam de brinde um adesivo “Eu Amo Rádio”.

O livro é uma excelente dica de leitura para os apaixonados por rádio. A leitura é bem agradável e o autor acredita que Você Nunca Ouviu Nada Igual.

17/03/2008

Prefácio do livro por Clóvis Reis


Watson? Elementar, meu caro! Watson = rádio.

Não imagino a vida de Watson sem o rádio. Desde os tempos da Universidade, onde o conheci como aluno, sempre o vi ligado ao rádio. Os colegas tinham a mesma impressão. Nas leituras em voz alta, tão comuns em sala de aula, era o primeiro voluntário. Com um timbre característico, buscava o tom certo em cada palavra, em cada frase, comportando-se como se estivesse diante de um microfone. Assim foi a faculdade inteira. No Trabalho de Conclusão de Curso que orientei, fez uma pesquisa sobre os comerciais veiculados nas emissoras de rádio com perfil popular. Depois da formatura, perdi contato com o Watson e só fui reencontrá-lo numa pós-graduação. Sua volta à universidade me causou certa surpresa, porque há tempos não nos encontrávamos. Nessa época, trabalhava em Gaspar, numa FM com programação em rede, e vez ou outra acompanhava suas intervenções. Porém, era tudo que sabia a seu respeito. Por fim, recorreu a mim novamente para a orientação da monografia de final de curso. Em seu trabalho, fez uma análise das transmissões de rádio pela Internet. Tanto a monografia quanto o TCC estão disponíveis para consulta na Biblioteca Central da Furb - Universidade Regional de Blumenau. Encerrada a pós-graduação, de novo fiquei sem contato com Watson. Entre idas e vindas, fiquei um tempo fora de Blumenau e no retorno soube que virara empresário, que dirigia uma produtora de áudio e vídeo, que estava numa grande emissora de rádio, que estrelava comerciais de televisão, que fazia propaganda política no rádio, que fazia locuções caricatas, que incorporava personagens diante do microfone, enfim, que ocupava espaços e construía uma sólida carreira na área de comunicação.
Que bom! Como professor do Watson, sinto-me recompensado com a sua escalada profissional e torço para que siga adiante, enfrentando e vencendo novos desafios, num meio de comunicação tão apaixonante como rádio.
Já houve quem dissesse que o rádio era um meio cego. Os apaixonados preferem a afirmação de ele é o meio que permite ver com os ouvidos, que é o teatro da mente. O fato é que nesse novo mundo da comunicação, o rádio é o meio pessoal definitivo, o mais pessoal dos meios de massa.

Clóvis Reis
Doutor em Comunicação, Professor de Redação Publicitária e Produção Publicitária em Rádio.