27/01/2010

MTV quer lançar sua Rádio.

Novas e velhas mídias estão nos planos do Grupo Abril para atingir o público jovem com a marca MTV. Com a sociedade com a Viacom desfeita, o grupo passa a explorar a marca com exclusividade no Brasil. A estratégia agora é ampliar a base da MTV, embora ainda trabalhando em nicho. Para isso, deve trabalhar na ampliação da cobertura do sinal em TV aberta e da distribuição do conteúdo da TV em outras plataformas.

A Abril negocia também o lançamento da Rádio MTV, em FM. Ainda não está definido em que modelo. O grupo pode licenciar a marca, exigindo algum controle editorial para garantir que a rádio esteja de acordo com o público alvo. A alternativa é lançar uma rádio em parceria com uma empresa que tenha a frequência. A outra mídia tradicional que a MTV espera explorar é o jornal, que seria gratuito, distribuído em escolas, clubes, shows e outros lugares de aglutinação do público-alvo.

26/01/2010

Blogs reproduzem nossos artigos!


O blog Rádio Base, dos mais acessados do Brasil (imagem acima); e o Nas Ondas do Rádio reproduzem o artigo E SE UM DIA O RÁDIO ACABASSE? Leia o artigo aqui.

25/01/2010

Site do Radialista vale uma visita!

O Site do Radialista além de conter informações valiosas para quem é do meio, está divulgando de forma espontânea o livro VOCÊ NUNCA OUVIU NADA IGUAL. Dê uma conferida.

15/01/2010

E SE UM DIA O RÁDIO ACABASSE?



· Não teríamos outro veículo de comunicação tão próximo para nos ajudar.
· Não conseguiríamos informação tão rápida.
· Não conseguiríamos informação tão fácil.
· Não teríamos outro meio para comunicar com as comunidades mais distantes.
· Teríamos dificuldades para nos manter informados no caso de falta de luz.
· Teríamos problemas de deslocamento na falta de informações do trânsito.
· Não saberíamos o que vai acontecer na nossa novela.
· Teríamos que comprar um jornal para saber a previsão dos astros.
· Teríamos que consultar a internet para saber da previsão do tempo.
· Teríamos que ligar a TV para saber das promoções das lojas.
· Teríamos que ler um livro para exercitar nossa imaginação.
· Não conseguiríamos mandar um recado para um familiar que não tem telefone.
· Não teríamos como ajudar uma família que precisa de uma cesta básica.
· Seria mais difícil recuperar um documento perdido.
· Teríamos dificuldades para arranjar uma namorada sem poder fazer um oferecimento musical.
· Seria mais difícil arranjar emprego.
· Seria mais difícil trabalhar com silêncio.
· Seria complicado resolver pequenos problemas do dia-a-dia sem uma simpatia passada no rádio.
· Que graça teria um jogo de futebol sem a vibração do locutor esportivo?
· Ficaria mais difícil ganhar um CD.
· Como saberíamos dos lançamentos musicais?
· Como saberíamos que determinado cantor vem fazer show na minha cidade?
· Precisaríamos contratar um DJ para os encontros com amigos, um churrasco, o namoro no carro.
· Como receberíamos informações presos no trânsito?
· Quem nos informaria a hora certa?
· Quem nos informaria a temperatura da nossa cidade?
· Quem vai contar piadas para gente?
· Quem vai testar nosso conhecimento?
· Quem vai nos dar conselhos sentimentais?
· Quem vai fazer companhia para os enfermos, porteiros e motoristas?
· Quem vai fazer a gente sonhar?

11/01/2010

Sotaque de Locutor


Artigo interessante publicado no site ComGurus, especializado em comunicação:

Não se trata de xenofobia, nem de bairrismo. É uma questão técnica e
até estratégica: anunciantes e agências estão descuidados com os sotaques
dos locutores (e locutoras) nos áudios de seus comerciais gravados em outros
estados. Se o roteiro não pede um sotaque regional, não deve existir nenhum
sotaque. Tem que ser uma locução “neutra”. ...

Outro ponto: é preciso cuidar da “idade percebida” do locutor (ou
locutora). Uma voz excessivamente jovem pode matar um comercial dirigido a um
target mais adulto. Da mesma forma, uma voz muito madura – tipo “vozeirão” –
pode não ser adequada para mensagens ao target jovem. Tudo isso parece óbvio,
mas infelizmente os erros continuam no ar.


07/01/2010

Radialist.as: Um novo ponto de encontro.



Existe agora uma comunidade para radialistas. É o site: http://radialist.as/. Vale uma visita.


O portal que já tem mais de 1.100 membros é uma espécie de Orkut para quem é deste meio. Dá pra postar áudios, vídeos, fotos, mensagens e rever velhos amigos. Além de tudo é uma ótima ferramenta de divulgação.


Conheci através do convite do radialista Cleber Maçaneiro da Diplomata de Brusque, ex-comunicador da Atlântida Blumenau. Gostei e tô dentro.


Se você também é radialista, registre-se agora.


[Na foto acima, eu (de camisa social) cercado de amigos na Rádio Guararema em 2008.]

04/01/2010

Mônica Sampaio indica o livro!


Uma das mais respeitadas radialistas do Brasil, Mônica Sampaio, que também é consultora e escritora, com mais de 25 anos de experiência em rádio, disse:

"Muito boas as dicas.
Assino embaixo.
Mônica Sampaio."