quarta-feira, 2 de maio de 2012

As 10 coisas mais irritantes da propaganda no rádio.


Por Eduardo Axelrud, vice-presidente de criação da Competence. Publicado também em: Meio & Mensagem e Caros Ouvintes.

1 – Jingles que cantam o briefing (tipo “variedade e qualidade, preço baixo todo dia, com aqueeeele atendimento…”) – e que nem se dão ao trabalho de rimar.
2 – Spots de Dia dos Pais onde o pai chama o filho de “filhão”. Meu pai nunca me chamou de “filhão”, eu nunca chamei meu filho de “filhão” e não conheço ninguém que chame seu filho de “filhão”. Só os personagens de spots de Dia dos Pais.
3 – Depoimentos falsos feitos para soar como se fossem verdadeiros. Pessoas exaltando um produto usando termos e frases escancaradamente construídas por (maus) redatores.
4 – Rimas pobres. Rimar verbos em “ar” sem parar é pra matar.
5 – Personagens de spots com nomes duplos inesperados. Roberto Alfredo, Fernando Gustavo. Pior que isso, só os nomes duplos das atendentes de telemarketing (ontem peguei uma Pamela Jaqueline).
6 – Jingle com letra que não dá pra entender.
7 – Jingle com letra que você preferia não ter entendido.
8 – Comerciais programados há anos diariamente no mesmo horário – e que se repetem à exaustão bem naquele horário em que você escuta rádio todos os dias.
9 – Programetes e boletins diários pseudo-jornalísticos de entidades que ficam por 1 minuto falando de assuntos internos que só interessam à diretoria daquela entidade – e olhe lá.
10 – E o mais constrangedor de tudo: spots que ninguém lembrou de tirar do ar. Nada pior que escutar uma voz feliz informando que “O verão está chegando”… em 15 de março.

Nenhum comentário: