quarta-feira, 6 de junho de 2012

Como Narrar Futebol



Por Luis Claudio de Paula.

PREPARAÇÃO:O narrador recebe da Rádio a escala com os jogos a serem narrados. Portanto, a primeira coisa a se fazer é pegar o máximo de informações possíveis sobre as equipes que jogarão a partida. Isso é trabalho do repórter normalmente, mas o narrador também deve se preparar para estar o mais interado possível.
Pesquise a respeito do histórico dos confrontos entre as equipes, os artilheiros, os principais jogadores, a classificação atualizada na competição, as curiosidades, enfim, todos os detalhes que cercam as partidas. Jogadores "pendurados" com cartão amarelo, suspensos, contundidos etc.
Procure se utilizar do notebook ou até mesmo de um caderno para colocar todas as escalações e fazer um arquivo. Isso vai auxiliá-lo nas próximas transmissões que envolvem as mesmas equipes.
Garrafa d'água é indispensável. Mas tudo isso será assunto de uma aula futura, tá bom?

NARRAÇÃO RADIOFÔNICA:
É a chamada narração discursiva. O narrador leva com detalhes tudo o que acontece na arena. Nada pode fugir dos olhos do narrador, afinal de contas o ouvinte não tem o auxílio da imagem. Tudo deve ser levado em consideração. Imaginemos um clássico no Pacaembu entre Corinthians e Palmeiras pela terceira rodada do Brasileirão. A rádio é a Osasco AM (sou morador de Osasco, por isso). Prestem atenção como seria, por exemplo, em linhas gerais a abertura da jornada esportiva.

"Um grande abraço a você torcedor ligado na Osasco AM. Falamos ao vivo do Estádio Paulo Machado de Carvalho - o Pacaembu. A partir de agora você vai acompanhar as emoções do Brasileirão 2012. É a terceira rodada da competição. Corinthians e Palmeiras. Corinthians já no gramado - camisas brancas, calções pretos e meiões pretos. O Timão que é o segundo colocado com 4 pontos. Quando nesse momento entra em campo o Palmeiras. Puxado pelo capitão Marcos Assunção, o Verdão vem com camisas verdes, calções brancos e meiões verdes. Palmeiras que ocupa a sétima posição com 3 pontos ganhos e busca sua segunda vitória no Brasileirão."

Veja que você posicionou o ouvinte a respeito do mais importante: competição, equipes, campanha e detalhes dos uniformes. Depois disso, você pode chamar os repórteres para destaques iniciais e na seqüência trazerem as escalações das equipes e trio de arbitragem. Pede uma pincelada rápida do comentarista e assume de vez o comando da transmissão.

"Tudo pronto para o início da partida. A saída pertence ao Palmeiras. Goleiro Bruno fica à minha direita defendendo o gol do tobogã. Cássio, goleirão do Corinthians, à minha esquerda defendendo o gol do portão principal. O árbitro acerta os últimos detalhes, confere o cronômetro e apita. Bola rolando no Pacaembu!"

A partir daí é com você. Algo que não pode faltar é situar o ouvinte onde a bola está e onde os jogadores se encontram posicionados. Lembre-se que você é os olhos do ouvinte. Acostume-se com os locais do campo, dentro e fora das 4 linhas. Por exemplo: grande área, pequena área, meia lua, lateral esquerda, lateral direita, intermediária defensiva, intermediária ofensiva, meia esquerda, meia direita, ponta esquerda, ponta direita, linha divisória do gramado (linha que divide o campo), linha lateral, linha de fundo, círculo central. Ou seja, você tem que situar o ouvinte de onde a jogada está acontecendo e antever o posicionamento e a movimentação dos jogadores.

"Posse de bola da equipe do Corinthians no campo de defesa. Chicão domina na zaga central e toca curtinho com Castán. Castán solta a bola na esquerda com Fabio Santos. Fabio Santos acelera e faz o toque com Ralf no círculo central. Ele ultrapassa a linha que divide o gramado e trabalha com Danilo pela meia esquerda pertinho do bico da grande área. Danilo gira pra cima do marcador e inverte a jogada da esquerda para a direita para o apoio do Alessandro. Alessandro domina, parte pra cima da marcação, ganhou, foi pro fundo, tentou o levantamento, houve o desvio do jogador do Palmeiras e é escanteio para o Corinthians pela direita."

O ritmo é acelerado, com o mínimo de espaço possível. Não pode haver vácuo na narração. O silêncio deixa o ouvinte ansioso. Portanto, se estiver com dificuldades, chame o comentarista para falar. Aliás, o comentarista é chamado com pelo menos 9 minutos de bola rolando, a não ser que algo diferente tenha acontecido. Por exemplo, uma expulsão, um gol, um lance inusitado. Os repórteres no rádio são acionados a todo o momento pelo narrador. Cada repórter cobre uma equipe.

2 comentários:

ROBERTO HAYNE disse...

Tudo isso é simplesmente fantástico...

LUIS E BRENO disse...

SIM