31/08/2012

Acredite Mais em Você.


Para quem não conhece as personalidades apresentadas no vídeo, segue uma pequena descrição:

Lucille Ball: comediante americana conhecida em 80 países como a série I Love Lucy.
The Beatles: banda de rock mais bem sucedida da história.
Ulysses S. Grant: um dos maiores presidentes norte-americanos.
Michael Jordan: melhor jogador de basquete de todos os tempos.
Thomas Edison: registrou 2.332 invenções, entre elas, a lâmpada.
Walt Disney: o maior ganhador de Oscar de todos os tempos.
Abraham Lincoln: liderou os Estados Unidos durante a Guerra Civil Americana.

"Se você pode sonhar, você pode fazer". Walt Disney.

E você? Aonde quer chegar?

28/08/2012

O bom comunicador precisa só de 2 coisas.


Clareza e Coração. Só essas 2 coisas você precisa para se expressar em público.

Clareza nas ideias, clareza nas palavras. Saber o que falar e que palavras utilizar para cada perfil de público. Seja verdadeiro. Seja objetivo. Pronuncie com clareza as palavras e cuide com a dicção. Prepare-se bem antes para poder expor seu tema com clareza. Tenha começo, meio e fim. Depois de um roteiro pronto, deixe o coração mandar.

O coração nos dá coragem. Quem nunca cometeu uma loucura quando estava apaixonado? Então coloque o coração no que você faz. Tudo que é feito de coração dá certo. Quando você fala com o coração, você fala com entusiasmo. Seus olhos vão brilhar, as ideias vão fluir naturalmente. Fale do que gosta. Assim você dominará o assunto, pois buscará sempre as respostas. Quando se fala com o coração, você emociona. Quando você emociona, você cativa, agrada, passa informação mais fácil. O caminho mais perto para o sucesso é passando pelo coração.

Então não esqueça: Clareza para saber fazer, e Coração para pôr em prática. É só isso, clareza e coração na hora de falar. O resto é conseqüência.

17/08/2012

A comunicação traz o sucesso.

Quem sabe vender sua imagem sempre sai vitorioso.
Um estudo do professor Thomas Harrell, da Stanford University (Califórnia), comprova essa tese.
Depois de analisar por dez anos a trajetória profissional de uma turma de formandos da Stanford, Harrell apontou a fluência verbal como a única característica comum entre os bem-sucedidos.

Fonte: Revista Época.

16/08/2012

Uma mensagem recebida.


Quero agradecer o carinho que recebi do aluno do Curso de Locução, Marcos Alexandre.
Ele me encaminhou hoje essa mensagem:

"BOM DIA PROFESSOR WATSON!
AO FINALISAR O MEU CURSO VENHO AGRADECER PELA SUA ATENÇÃO RECEBIDA DURANTE TODO DECORRER DO CURSO. PODE TER CERTEZA QUE OS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS LEVAREI PARA TODA VIDA.
DESDE CRIANÇA SEMPRE FUI UM APAIXONADO PELO RÁDIO, QUANDO MINHA SAUDOSA MÃE OUVIA AS MADRUGADAS O PROGRAMA NA RÁDIO CAPITAL DO ZÉ BETTIO (saudades) NO VELHO E ANTIGO RÁDIO DE MESA AM VOZ DE OURO CANARINHO.
CONTINUAREI ME APROFUNDANDO MAIS E MAIS NESTE MUNDO RICO QUE É O RÁDIO NA CERTEZA DE QUE ESTAREI NO TOPO DAQUELES QUE ALCANÇARAM O SUCESSO PROFISSIONAL.
OBRIGADO POR TUDO PROFESSOR WATSON, E QUE DEUS CONTINUE TE USANDO A CADA DIA EM LEVAR MUITOS AO CONHECIMENTO E DA PRÁTICA DA SABEDORIA.
ATT MARCOS ALEXANDRE DE DEUS."

Sucesso pra você, Marcos! Com essa sua dedicação você chega lá!

08/08/2012

40 Dicas para Ganhar Dinheiro com Rádio


Segundo André Martines, autor do livro "Como Lucrar com o Rádio", as 40 principais formas de ganhar dinheiro com rádio são:

1.    Produzindo programas para rádios
2.    Apresentando eventos
3.    Vendendo propaganda
4.    Usando tecnologia SMS
5.    Lucrando com compras coletivas
6.    Criando agência digital de marketing dentro do rádio
7.    Comercializando informativo publicitário em programa jornalístico
8.    Comprando Horário
9.    Lucrando com Classificados no Rádio
10. Tornando o web site da sua rádio lucrativo
11. Lucrando com web rádio
12. Lucrando com podcast
13. Lucrando com rádio indoor
14. Lucrando com blog
15. Lucrando na política
16. Lucrando com rádio comunitária
17. Produzindo eventos
18. Fechando parceria com casa noturna
19. Lucrando informando o trânsito
20. Lucrando com divulgação artística
21. Criando comunidades de radialistas
22. Divulgando rádios
23. Divulgando estilo musical em site
24. Lucrando com programa de coluna social
25. Arrendando horários para empresas
26. Gravando comerciais
27. Vendendo notícias locais
28. Lucrando com propaganda volante
29. Lucrando com esporte
30. Lucrando como representante de vendas
31. Trabalhar em uma campanha política
32. Trabalhar no sistema de som de lojas e supermercados.
33. Lucrando com palestra ou cursos livres
34. Lucrando com shows e programas de humor
35. Produzindo áudio para treinamento
36. Administrando rádio comunitária à distância
37. Lucrando com consultoria artística
38. Lucrando com consultoria técnica e jurídica
39. Lucrando com manutenção e instalação de equipamentos
40. Venda de auditoria


Obs.: O pingente da foto custa 18 dólares aqui nesse site: http://www.hiphopcloset.com/gold-baby-boom-box-chain.aspx (mas eu não estou lucrando nada em cima, hehehe...)


Esperamos que esteja gostando do nosso blog.

Obrigado por acessar.

Aproveite para conhecer nosso CURSO DE LOCUÇÃO.

Leia nosso LIVRO SOBRE RÁDIO.

Saiba como melhorar sua ORATÓRIA.

Ou ganhe renda extra revendendo nossos produtos.

06/08/2012

As Leis do Sucesso


Finalmente terminei de ler o livro “A Lei do Triunfo”, de 736 páginas, escrito por Napoleon Hill. O livro, lançado em 1928, é resultado de um estudo de 20 anos, com 16 mil pessoas, para descobrir porque umas fazem sucesso e outras não. Entre as personalidades pesquisadas estão:Thomas Edson, Graham Bell, George Eastman, Henry Ford, John Rockfeller,Theodore Roosevelt e Woodrow Wilson. O resultado deste trabalho foi transformado em um livro-curso, no qual Napoleon Hill definiu 16 leis que todas as pessoas de grande sucesso seguiam, conscientemente ou não.


Divido com vocês agora, as 16 leis fundamentais para o sucesso:


1. MASTER MIND – ASSOCIAÇÃO COM OUTRAS PESSOAS COM O MESMO PERFIL DE PENSAMENTO

A primeira lei revela que todos os grandes homens tiveram que se associar a outras pessoas para conseguir realizar os seus objetivos. Uma vez que todos compreenderam a interdependência, buscaram principalmente pessoas que seguiam uma mesma linha de pensamento. Napoleon Hill afirmava que a união de duas ou mais mentes gerava um todo que era maior do que a soma das partes, o que ele chamou de Master Mind – ou Mente Mestra. Sozinhos, nenhum deles teria conseguido o sucesso que conseguiu.


2. OBJETIVO PRINCIPAL DEFINIDO

Outro ponto que ficou bastante claro durante a pesquisa foi que todas as pessoas que realizam seus sonhos tinham um objetivo principal claramente definido em suas mentes. Muita gente diz que quer mudar de vida, mas quando são perguntadas o que realmente querem, se atrapalham para dizer. Sabem que não querem continuar do jeito que estão, mas não tem um objetivo claro de onde querem chegar, do que querem realmente mudar. O objetivo principal na vida deve ser escolhido com um grande cuidado e, depois de escolhido, deverá ser escrito e colocado num lugar onde se possa vê-lo pelo menos uma vez por dia. Isso tem por efeito psicológico impressionar o subconsciente da pessoa de tal maneira que ela aceita esse propósito como um lema, um projeto, uma “planta” que finalmente dominará as suas atividades na vida e a guiará, passo a passo, para a consecução desse objetivo. Sem ter um objetivo traçado, é muito complicado realizar alguma coisa.


3. CONFIANÇA EM SI PROPRIO

As pessoas de sucesso entrevistadas demonstravam grande confiança em seu potencial. Se não para resolver o problema, para saber quem chamar para resolver. A autoconfiança é essencial para quem quer empreender algo. Quem vai confiar um investimento em alguém que não demonstra segurança? Qual cliente vai comprar algo de alguém que duvida de si mesmo?


4. O HÁBITO DA ECONOMIA

Em uma tradução mais moderna, podemos dizer que educação financeira é uma das regras essenciais para quem quer obter sucesso. Embora o dinheiro não seja a única ferramenta para medir o sucesso de uma pessoa, quando estamos falando de negócios e empresas (que era o caso da maioria dos entrevistados de Napoleon Hill), essa é sim a principal medida de sucesso. O estudo mostrou que os entrevistados sabiam controlar suas finanças e assim tinham sempre dinheiro para investir em oportunidades e para arriscar empreendimentos que, se não dessem certo, também não os iria deixar no meio da rua.


5. INICIATIVA E LIDERANÇA

Um outro ponto bastante claro na pesquisa foi o de que todos os entrevistados tinham um perfil de líder e não de seguidor. Todos tomaram a iniciativa de assumir o controle de suas próprias vidas, de empreender, de sair da mesmice e levar outros associados juntos no caminho. Para levar outras pessoas a trabalharem com você em uma iniciativa própria ou mesmo para convencer outros a comprarem seus serviços e produtos, é preciso demonstrar liderança.


6. IMAGINAÇÃO

Pensar fora da caixa. Essa é a sexta lei do triunfo identificada por Napoleon Hill entre os homens bem-sucedidos que ele entrevistou. Boa parte deles precisou muitas vezes usar a imaginação para pensar em um negócio que não existia, para criar uma solução na qual ninguém pensou antes, para criar coisas novas. Existe uma série de técnicas para desenvolver a imaginação e a criatividade, mas o ponto principal é você forçar-se a mudar suas rotinas de ações e pensamentos e não ter receio de experimentar coisas novas.


7. ENTUSIASMO

Aqui chegamos a um ponto muito importante. Muita gente parece ter um desejo de mudar de vida, mas acaba não indo em frente. É como se faltasse o combustível para levar o carro adiante. Segundo o livro, esse combustível que move homens e mulheres rumo a grandes descobertas e empreendimentos é o       entusiasmo. Grande parte dos maiores realizadores do mundo eram absolutamente apaixonados por seus objetivos principais definidos, a ponto de isso despertar neles grande entusiasmo para seguir em frente mesmo quando todas as condições pareciam adversas.O homem geralmente triunfa com mais facilidade num campo de esforços em que se lança de corpo, alma e coração. Criar entusiasmo em si mesmo – literalmente viver com paixão – é um dos desafios mais intensos e prazerosos que você pode impor a si mesmo.


8. AUTOCONTROLE

O oitavo ponto bate muito como quinto: ter autocontrole é, na verdade, ser o líder de si mesmo. É pensar no longo prazo, avaliar as consequências de cada ação, ter a ideia exata de que tudo o que você faz ou o aproxima ou o afasta do seu objetivo principal definido. Não ser escravo das tentações mundanas ou de estados alterados de consciência – como a embriaguez, por exemplo – é um passo essencial para quem quer estar no comando da própria vida.


9. HÁBITO DE FAZER MAIS QUE A OBRIGAÇÃO

Segundo Napoleon Hill, existem dois tipos de pessoas que não vão para a frente: Aquelas que não fazem o que lhes é pedido. Aquelas que só fazem o que lhes é pedido. Se você quer se destacar em sua área de atuação, precisa criar o saudável hábito de andar a milha extra: sempre fazer mais do que lhe pedem, sempre fazer mais do que é obrigado a fazer. Do contrário, você será apenas uma pessoa mediana, igual a tantas outras.


10. PERSONALIDADE ATRAENTE

Os negócios são resultados diretos de interações humanas. Cultivar uma personalidade atraente é ser uma figura agradável, simpática, bem apresentada. Não estamos falando aqui de padrões de beleza e sim de comportamentos que o tornem uma companhia agradável para os outros. Existem pessoas que não fazem a menor questão de serem simpáticas. Elas estão no direito delas, porém para quem quer levar sua carreira a patamares mais altos, além de competência, é preciso ser uma companhia no mínimo agradável.

11. PENSAR COM EXATIDÃO

Ter foco é outra lei essencial para quem quer obter sucesso. Devemos aprender a dirigir os nossos pensamentos somente para os assuntos, fatos e informações que, de alguma forma, nos deixarão mais próximos de nosso objetivo principal definido. A meta é passar a raciocinar dedutivamente, apenas com base em fatos comprovadamente verdadeiros, que possuam importância real e que sejam úteis de alguma maneira.


12.CONCENTRAÇÃO

Esse ponto parece ser muito mais difícil hoje em dia do que na época em que a pesquisa foi realizada. Isso porque hoje boa parte da humanidade sofre com distúrbios de déficit de atenção. As novas tecnologias e seus processos multitarefas nos oferecem tantas coisas que cada uma delas recebe apenas uma pequena fração da nossa atenção. O resultado são trabalhos mal-feitos, falta de foco, sensação de excesso de informação e um grande sentimento de frustração. A saída aqui é treinar a própria mente para pensar com exatidão. Técnicas de meditação e o hábito de lidar com apenas uma coisa de cada vez, com foco total, são úteis para esse tipo de treinamento.


13. COOPERAÇÃO

Além de se associar com pessoas com a mesma linha de pensamento, os homens de sucesso entendem que a cooperação é o melhor caminho para a realização pessoal e coletiva. Isso inclui ver os concorrentes apenas como outros players do mercado, não como inimigos. Significa ver os funcionários não como escravos, mas como pessoas que estão colaborando para tornar o seu sonho realidade. A cooperação deve se dar em todos os níveis, pensando não somente no interesse próprio, mas também no bem-estar das pessoas com quem você se relaciona.


14. FRACASSO

Como o fracasso pode ser uma das leis do sucesso? É simples: todas as pessoas que atingiram uma grande realização na vida, fracassaram algumas vezes antes. Na verdade, como diria Thomas Edson, aprenderam maneiras de “não inventar a lâmpada”. O fracasso deve ser visto como um grande aliado. Cada vez que você falha, você descobre uma maneira de não realizar o seu objetivo. Elimina um caminho. Continue fazendo isso até você achar a trilha ideal. Anthony Robbins em seus treinamentos pergunta: quantas vezes você deixaria o seu filho cair antes de desistir de ensiná-lo a andar? As pessoas respondem com simplicidade: ora, ele vai cair até conseguir andar. E aí está a fórmula mágica do sucesso! Não existe maneira de fracassar, apenas de aprender como não chegar lá.


15. TOLERÂNCIA

Para lidar com o fracasso, com as limitações de outras pessoas e as suas próprias, com as adversidades que a vida nos impõe, é preciso ter uma boa dose de tolerância e paciência. Você já deve ter percebido que não existe ninguém no mundo que consiga ter todas as coisas sob controle. Coisa que queremos não acontecem. Coisas que não queremos acontecem. O segredo é nos desapegar de querer controlar tudo e ter tolerância e paciência para ir acertando e errando até chegar onde queremos, seguindo sempre em frente. A maior recomendação que alguém que está buscando uma melhoria na qualidade de vida pode receber é a de aproveitar toda a jornada, não apenas a realização da meta.


16. A REGRA DE OURO – FAZER AOS OUTROS AQUILO QUE QUER QUE SEJA FEITO A VOCÊ MESMO

Essa lei é usada em grande parte das religiões e filosofias de vida já criadas no mundo. Se ela fosse realmente levada a sério, viveríamos um mundo bem melhor. No momento em que você percebe que somos todos – seres vivos e meio-ambiente – uma única rede interdependente, que a ideia de eu como uma coisa distinta e independente nada mais é do que uma ilusão, aí, meu amigo, temos uma grande oportunidade de nos libertarmos de padrões limitadores. Trataras outras pessoas como a si mesmo é um passo importante para essa compreensão.

Uma das últimas grandes frases de Napoleon Hill no livro é: “O mundo pode perdoar nossos erros,mas nunca perdoará nossa falta de decisão.”

Tome uma decisão: Mude de vida agora.

 Este artigo foi baseado em: http://mude.nu/16-leis-do-triunfo-sucesso/

03/08/2012

O Som que Vende


Você sabia que a Harley-Davidson registrou o ronco do motor de suas motos? Nenhuma outra fabricante pode imitar o barulho de uma Harley-Davidson para não correr o risco de ser processada por plágio.
Dizem que os carros elétricos ainda não são um sucesso por que não fazem barulho. Quem compra um carro esportivo quer sentir e ouvir o motor.
Até os fabricantes de salgadinhos fazem pesquisas para descobrir qual o som ideal para a sua embalagem. Perceba que quando alguém abre um pacote perto de você dá vontade de comer também.
Segundo o consultor em neurobusiness, Pedro Camargo, existem supermercados que utilizam o artifício da música para controlar o fluxo de vendas. Quando as lojas estão vazias, o som ambiente é basicamente composto por música lenta, para deixar o cliente calmo e relaxado. Esse tipo de música faz com que as vendas brutas por pessoa aumentem em até 38%. Quando o local está cheio, como dia do pagamento, a música é sempre acelerada para as pessoas terem ações rápidas, escolher logo, comprar e sair rapidamente para dar lugar as outras pessoas que estão chegando.
Pouca gente sabe que nos parques da Disneyworld, o estilo musical que toca de manhã é mais animado do que toca no final da tarde, quando as pessoas estão cansadas de tanto brincar. As músicas e os efeitos sonoros de cada atração são cuidadosamente estudados. Tudo para tornar o ambiente mais agradável aos visitantes.
Fica a dica para quem trabalha com rádio ou produção de áudio. Tem muita coisa para se explorar nesta área. Sem precisar gritar para vender.

02/08/2012

Imagem e Voz do Brasil

A VOZ DO BRASIL, o programa de rádio mais antigo do país segundo o Guiness Book, no ar desde 22 de julho de 1935, volta a ser notícia. A partir desde mês de agosto, o programa passa a ser transmitido em áudio e vídeo, ao vivo, na internet.

Os primeiros 25 minutos do programa, que tratam do poder executivo, são produzidos pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e exibidos agora simultaneamente nas rádios e na internet, de segunda a sexta-feira, às 19h.

Se você tiver curiosidade de "ver" a Voz do Brasil, acesse: http://www.ebcservicos.ebc.com.br/streaming/avozdobrasil
 

01/08/2012

Expressões Curiosas

Você sabe de onde vêm aquelas frases que todo mundo fala?

Dar com os burros n´água
A expressão surgiu no período do Brasil colonial, onde tropeiros que escoavam a produção de ouro, cacau e café, precisavam ir da região Sul à Sudeste sobre burros e mulas. O fato era que muitas vezes esses burros, devido à falta de estradas adequadas, passavam por caminhos muito difíceis e regiões alagadas, onde os burros morriam afogados. Daí em diante o termo passou a ser usado pra se referir a alguém que faz um grande esforço pra conseguir algum feito e não consegue ter sucesso naquilo.

Jurar de pés juntos
A expressão surgiu através das torturas executadas pela Santa Inquisição, às quais o acusado de heresias tinha as mãos e os pés amarrados (juntos) e era torturado para dizer nada além da verdade. Até hoje o termo é usado para expressar a veracidade de algo que uma pessoa diz.

Motorista barbeiro
No século XIX, os barbeiros faziam não somente os serviços de corte de cabelo e barba, mas também, tiravam dentes, cortavam calos, etc, e por não serem profissionais, seus serviços mal feitos geravam marcas. A partir daí, desde o século XV, todo serviço mal feito era atribuído ao barbeiro, pela expressão “coisa de barbeiro”. Esse termo veio de Portugal, contudo a associação de “motorista barbeiro”, ou seja, um mau motorista, é tipicamente brasileira.

Tirar o cavalo da chuva
No século XIX, quando uma visita iria ser breve, ela deixava o cavalo ao relento em frente à casa do anfitrião e se fosse demorar, colocava o cavalo nos fundos da casa, em um lugar protegido da chuva e do sol. Contudo, o convidado só poderia pôr o animal protegido da chuva se o anfitrião percebesse que a visita estava boa e dissesse: “pode tirar o cavalo da chuva”. Depois disso, a expressão passou a significar a desistência de alguma coisa.

Bom À beça
O mesmo que abundantemente, com fartura, de maneira copiosa. A origem do dito é atribuída às qualidades de argumentador do jurista alagoano Gumercindo Bessa, advogado dos acreanos que não queriam que o Território do Acre fosse incorporado ao Estado do Amazonas.

 Guardar a sete chaves
No século XIII, os reis de Portugal adotavam um sistema de arquivamento de jóias e documentos importantes da corte através de um baú que possuía quatro fechaduras, sendo que cada chave era distribuída a um alto funcionário do reino. Portanto eram apenas quatro chaves. O número sete passou a ser utilizado devido ao valor místico atribuído a ele, desde a época das religiões primitivas. A partir daí começou-se a utilizar o termo “guardar a sete chaves” pra designar algo muito bem guardado.

 Ok
A expressão inglesa “Ok” (okay), que é mundialmente conhecida pra significar algo que está tudo bem, teve sua origem na Guerra da Secessão, no EUA. Durante a guerra, quando os soldados voltavam pras bases sem nenhuma morte entre a tropa, escreviam numa placa “0 Killed” (nenhum morto), expressando sua grande satisfação, daí surgiu o termo “OK”.

Onde Judas perdeu as botas
Existe uma história não comprovada, de que após trair Jesus, Judas enforcou-se em uma árvore sem nada nos pés, já que havia posto o dinheiro que ganhou por entregar Jesus dentro de suas botas. Quando os soldados viram que Judas estava sem as botas, saíram em busca delas e do dinheiro da traição. Nunca ninguém ficou sabendo se acharam as botas de Judas. A partir daí surgiu à expressão, usada pra designar um lugar distante, desconhecido e inacessível.

Pensando na morte da bezerra
A história mais aceitável pra explicar a origem do termo é proveniente das tradições hebraicas, onde os bezerros eram sacrificados pra Deus como forma de redenção de pecados. Um filho do rei Absalão tinha grande apego a uma bezerra que foi sacrificada. Assim, após o animal morrer, ele ficou se lamentando e pensando na morte da bezerra. Após alguns meses o garoto morreu.

Coisa pra inglês ver
A expressão surgiu por volta de 1830, quando a Inglaterra exigiu que o Brasil aprovasse leis que impedissem o tráfico de escravos. No entanto, todos sabiam que essas leis não seriam cumpridas, assim, essas leis eram criadas apenas “pra inglês ver”. Daí surgiu o termo.

Rasgar seda
A expressão que é utilizada quando alguém elogia grandemente outra pessoa, surgiu através da peça de teatro do teatrólogo Luís Carlos Martins Pena. Na peça, um vendedor de tecidos usa o pretexto de sua profissão pra cortejar uma moça e começa a elogiar exageradamente sua beleza, até que a moça percebe a intenção do rapaz e diz: “Não rasgue a seda, que se esfiapa”.

O pior cego é o que não quer ver
Em 1647, em Nimes, na França, na universidade local, o doutor Vicent de Paul De Argenrt fez o primeiro transplante de córnea em um aldeão de nome Angel. Foi um sucesso da medicina da época, menos pra Angel, que assim que passou a enxergar ficou horrorizado com o mundo que via. Disse que o mundo que ele imaginava era muito melhor. Pediu ao cirurgião que arrancasse seus olhos. O caso foi acabar no tribunal de Paris e no Vaticano. Angel ganhou a causa e entrou pra história como o cego que não quis ver.

Anda à toa
Toa é a corda com que uma embarcação reboca a outra. Um navio que está à toa é o que não tem leme nem rumo, indo pra onde o navio que o reboca determinar.

Quem não tem cão caça com gato
Na verdade, a expressão, com o passar dos anos, se adulterou. Inicialmente se dizia quem não tem cão caça como gato, ou seja, se esgueirando, astutamente, traiçoeiramente, como fazem os gatos.

Da pá virada
A origem do ditado é em relação ao instrumento, a pá. Quando a pá está virada para baixo, voltada pro solo, está inútil, abandonada decorrentemente pelo Homem vagabundo, irresponsável, parasita.
Ficar de nhenhenhémNheë, em tupi, quer dizer falar. Quando os portugueses chegaram ao Brasil, os indígenas não entendiam aquela falação estranha e diziam que os portugueses ficavam a dizer “nhen-nhen-nhen” .

Vai tomar banho
Em “Casa Grande & Senzala”, Gilberto Freyre analisa os hábitos de higiene dos índios versus os do colonizador português. Depois das Cruzadas, como corolário dos contatos comerciais, o europeu se contagiou de sífilis e de outras doenças transmissíveis e desenvolveu medo ao banho e horror à nudez, o que muito agradou à Igreja. Ora, o índio não conhecia a sífilis e se lavava da cabeça aos pés nos banhos de rio, além de usar folhas de árvore pra limpar os bebês e lavar no rio as redes nas quais dormiam. Ora, o cheiro exalado pelo corpo dos portugueses, abafado em roupas que não eram trocadas com freqüência e raramente lavadas, aliado à falta de banho, causava repugnância aos índios. Então os índios, quando estavam fartos de receber ordens dos portugueses, mandavam que fossem “tomar banho”.

A dar com o pau
O substantivo “pau” figura em várias expressões brasileiras. Esta expressão teve origem nos navios negreiros. Os negros capturados preferiam morrer durante a travessia e, pra isso, deixavam de comer. Então, criou-se o “pau de comer” que era atravessado na boca dos escravos e os marinheiros jogavam sapa e angu pro estômago dos infelizes, a dar com o pau. O povo incorporou a expressão.

Eles que são brancos que se entendam
Esta foi das primeiras punições impostas aos racistas, ainda no século XVIII. Um mulato, capitão de regimento, teve uma discussão com um de seus comandados e queixou-se a seu superior, um oficial português. O capitão reivindicava a punição do soldado que o desrespeitara. Como resposta, ouviu do português a seguinte frase: “Vocês que são pardos, que se entendam”. O oficial ficou indignado e recorreu à instância superior, na pessoa de dom Luís de Vasconcelos (1742-1807), 12° vice-rei do Brasil. Ao tomar conhecimento dos fatos, dom Luís mandou prender o oficial português que estranhou a atitude do vice-rei. Mas, dom Luís se explicou: Nós somos brancos, cá nos entendemos.

Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura
Um de seus primeiros registros literários foi feito pelo escritor latino Ovídio (43 a.C.-18 d.C), autor de célebres livros como A arte de amar e Metamorfoses, que foi exilado sem que soubesse o motivo. Escreveu o poeta: “A água mole cava a pedra dura”. É tradição das culturas dos países em que a escrita não é muito difundida formar rimas nesse tipo de frase pra que sua memorização seja facilitada. Foi o que fizeram com o provérbio, portugueses e brasileiros.

Parece a Casa da mãe Joana
Esta vem da Itália. Joana, rainha de Nápoles e condessa de Provença (1326-1382), liberou os bordéis em Avignon, onde estava refugiada, e mandou escrever nos estatutos: “que tenha uma porta por onde todos entrarão”. O lugar ficou conhecido como Paço de Mãe Joana, em Portugal. Ao vir para o Brasil a expressão virou “Casa da Mãe Joana”. A outra expressão envolvendo Mãe Joana, um tanto chula, tem a mesma origem, naturalmente. 

Sem eira nem beira
Eira tratava-se de um detalhe no acabamento dos telhados de antigamente.
Possuir a eira e a beira era sinal de riqueza e de cultura. Os tempos passaram, no entanto sempre os homens buscam revelar sinais externos de poder e riqueza. É claro que hoje os acabamentos nos telhados não significam muito.