sexta-feira, 3 de agosto de 2012

O Som que Vende


Você sabia que a Harley-Davidson registrou o ronco do motor de suas motos? Nenhuma outra fabricante pode imitar o barulho de uma Harley-Davidson para não correr o risco de ser processada por plágio.
Dizem que os carros elétricos ainda não são um sucesso por que não fazem barulho. Quem compra um carro esportivo quer sentir e ouvir o motor.
Até os fabricantes de salgadinhos fazem pesquisas para descobrir qual o som ideal para a sua embalagem. Perceba que quando alguém abre um pacote perto de você dá vontade de comer também.
Segundo o consultor em neurobusiness, Pedro Camargo, existem supermercados que utilizam o artifício da música para controlar o fluxo de vendas. Quando as lojas estão vazias, o som ambiente é basicamente composto por música lenta, para deixar o cliente calmo e relaxado. Esse tipo de música faz com que as vendas brutas por pessoa aumentem em até 38%. Quando o local está cheio, como dia do pagamento, a música é sempre acelerada para as pessoas terem ações rápidas, escolher logo, comprar e sair rapidamente para dar lugar as outras pessoas que estão chegando.
Pouca gente sabe que nos parques da Disneyworld, o estilo musical que toca de manhã é mais animado do que toca no final da tarde, quando as pessoas estão cansadas de tanto brincar. As músicas e os efeitos sonoros de cada atração são cuidadosamente estudados. Tudo para tornar o ambiente mais agradável aos visitantes.
Fica a dica para quem trabalha com rádio ou produção de áudio. Tem muita coisa para se explorar nesta área. Sem precisar gritar para vender.

Nenhum comentário: