terça-feira, 23 de abril de 2013

É o que dizem por aí...


Dizem que trabalhar é um mal necessário.

Dizem que o diploma é um grande diferencial, suficiente para o seu sucesso.

Dizem que é melhor ter um emprego com estabilidade.

Dizem que horário de trabalho que se preze é segunda a sexta, das 8 às 18 horas, porque domingo é dia de descansar e, ao final do dia, começar a se lamentar nas redes sociais porque a segunda-feira já está chegando.

Dizem que a casa própria, paga em 30 anos, financiada por um banco do governo, é sinal de status e segurança.

Dizem que quem nasce pobre morre pobre, que somente prospera quem se envolvesse em algo ilícito, quem se torna um jogador de futebol ou quem ganha na Mega Sena.

Dizem muitas outras coisas, como "mais vale o certo do que o duvidoso", que rico é tudo safado, que a crise é grande e que o Brasil é um país que não tem jeito mesmo.

Só não dizem que cada pessoa tem um valor enorme e que, independentemente de sua origem, você pode transformar a sua realidade, mudar o mundo e influenciar a todos ao seu redor.

Escondem que, segundo o Banco Central, nos últimos anos a cada 10 minutos surge um novo empreendedor milionário no Brasil, que a economia do País é alvo de bilhões de dólares em investimentos internacionais e que apesar de todos os problemas sociais e políticos do Brasil, o País se tornou a 7ª economia do mundo e um dos principais mercados para se empreender.

Esquecem de dizer que a maioria dos que ganham na loteria empobrece poucos anos mais tarde, que a média salarial de um jogador de futebol é menor do que a média de um professor, que as subcelebridades dos reality shows têm uma efêmera fama que é muito diferente de sucesso e que logo caem no ostracismo e que devemos escolher melhor os nossos referenciais a serem seguidos.

Que pena que não dizem isso. Por isso, muitos acabam enterrados num cemitério juntamente com todos os seus projetos, sem ter desfrutado da conquista de todos eles com a sua família e sem ter deixado legado algum para as próximas gerações.

Lembre-se: Se você fizer o que a maioria faz, você chegará até onde a maioria chega. Se você quer ir mais longe, invista em você. Meta a cara. Busque seus objetivos. Comunique suas ideias ao mundo. Você pode fazer mais!

(Baseado no artigo de Flavio Augusto da Silva, fundador da rede de escolas de inglês WiseUp e do Geração de Valor.)

Nenhum comentário: